quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Devorando fractais

Uma tal de "romanesca" veio parar no nosso almoço. Por causa dessas novidades que se tornam irresistíveis nas costumeiras idas e vindas ao supermercado. Um vegetal assim meio brócolis, meio couve flor. Eis a hibridez que se personaliza no prato nosso de cada dia. Fico pensando: que nome bonito, que bela forma, textura, cor... Irresistível, vem pra cá coisa estranhamente bela. No dr. Google encontramos informações sobre a novidade. Não é uma verdura. É um conjunto de flores que surgiram com a polinização da couve flor com a brócolis. E a preguiça de conferir se brócolis é masculino ou feminino.



Mas a pesquisa sobre a romanesca ganha corpo. Informações pescadas nesse mundão virtual, decidimos, merecem ir para o facebook! Com direito a fotos. Vejo as fotos... "Parece coisa do fundo do mar. Registrada e postada em diferentes ângulos e lentes, a novidade facebookeira é muito bem recebida.
Alguns se declaram maravilhados, outros curiosos, há agradecimentos pela informação, outros replicam informações complementares, enfim, vários tipos de manifestações fractais (sim, porque a romanesca é fractal). Postam até um comentário de impecável singeleza: oi romanesca! "Nossa, a romanesca precisa dar as caras no Tyrannus".




Fractal é uma dessas palavras com as quais nos deparamos uma vez ou outra. Dessas que a gente aprende e esquece o significado, às vezes logo no instante seguinte. Não se trata de um vernáculo cotidiano. Precisava que conhecêssemos primeiro, a romanesca, e saber de sua constituição geométrica fractal, para que a palavra entrasse com mais completude em nossas vidas. Então, “fractais são formas geométricas, cujo padrão se replica indefinidamente gerando complexas figuras que preservam, em cada uma de suas partes, características do todo”. E suas características essenciais, são: autosemelhança e complexidade infinita, quer mais??????


A tal da geometria fractal, constatada cientificamente no século XIX, desbancou a geometria euclidiana (aquela, beeemmm mais simples e que todos nós já estudamos). Fractal é um conceito adequado a coisas  animadas e inanimadas que a natureza apresenta. Um abacaxi, uma samambaia, uma montanha, um floco de neve, o raio e a nossa romanesca, entre outras.
E de repente a gente estava lendo sobre algoritmos, estruturas geométricas e outros assuntos não muito cotidianos aqui nesta casa de blogueiros. E descobrimos que a palavra fractal vem do latim "fractus", que significa fragmentado, fraccionado. Bacana e fácil de entender essa etimologia e, quem sabe, epistemologia. Mas aí, nos aprofundamos, e percebemos que fractal tem a ver com a Teoria do Caos.

Aí já é demais. Bateu a fome e fui buscar o resto da salada fractal que estava na geladeira, que tinha um sabor assim meio couve flor, meio brócolis. Cadê??? E pra evitar repetições fractais aqui na nossa conversa. Bye bye... de leve como o bater das asas da borboleta.


Um comentário:

  1. sou benoît mandelbrot procurando a curva fractal na cicatriz do tornozelo.

    ResponderExcluir